Hepatite C: ferramenta avalia impacto das políticas de saúde pública
02/11/2017 15:01:20
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Hepatite C: ferramenta avalia impacto das políticas de saúde pública

A Universidade Católica Portuguesa apresentou a 1 de novembro, no âmbito da Cimeira Mundial das Hepatites (iniciativa conjunta da Organização Mundial da Saúde e da Aliança Mundial de Hepatites), em São Paulo, a ferramenta Let’s End HepC (LEHC), que avalia o impacto das políticas de saúde pública na eliminação da hepatite C (VHC), com o intuito de eliminar a doença a nível mundial até 2030.

A LEHC é uma plataforma online e uma aplicação móvel, criadas e desenvolvidas por um consórcio universitário liderado por portugueses, que pode ser acedida por todos aqueles que quiserem ajudar na eliminação da doença, incluindo políticos, médicos, investigadores, ativistas e doentes.

A ferramenta mostra dados epidemiológicos da doença a nível mundial e local, formas de transmissão e de prevenção, os quais conjugados com a análise atual de 24 políticas e o seu peso – determinados por um grupo de peritos nacionais que as avaliou e determinou - são a base dos dados processados num algoritmo matemático que calcula a probabilidade de se atingir a eliminação da hepatite c em cada país.

“Nesta primeira fase do projeto, o algoritmo inclui todas as informações disponíveis atualmente em Portugal e debita o resultado da probabilidade de eliminação para o nosso País até 2030, permitindo simultaneamente ver o impacto de possíveis alterações dos utilizadores da ferramenta e o seu impacto, quer por populações específicas (usuários de drogas por via endovenosa, reclusos, produtos de sangue ou população total), quer numa linha temporal anual até 2030. O utilizador, ao aceder ao site, visualiza imediatamente e de forma gráfica o impacto que as políticas atuais têm no cumprimento do objetivo da eliminação e nos diferentes ‘outcomes’ para o ano de 2030, assim como em que ano será possível atingir (ou não) a eliminação com as políticas atualmente em curso”, explica o Dr. Ricardo Baptista Leite, médico e coordenador científico de saúde pública do Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Católica Portuguesa.

A plataforma contou com o apoio financeiro da Gilead Sciences e dá aos políticos e a outras partes interessadas a possibilidade de tomarem decisões informadas e assentes na mais relevante evidência científica, que permitam melhorar a gestão dos recursos públicos e o seu impacto na sociedade, nos doentes e seus familiares.

Para mais informações consulte o site www.letsendhepc.com


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019