Ministério da Saúde cria Prémio João Lobo Antunes para personalidades que se destaquem na Bioética
31/10/2017 16:43:01
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Ministério da Saúde cria Prémio João Lobo Antunes para personalidades que se destaquem na Bioética

O Ministério da Saúde anunciou ontem, dia 30 de outubro, a criação do Prémio em Bioética João Lobo Antunes, em homenagem ao neurocirurgião que morreu em outubro do ano passado. Todos os anos, um trabalho de investigação na área da Bioética vai ser distinguido com um prémio pecuniário no valor de 10 mil euros.

O prémio visa distinguir um estudo ou trabalho de investigação que, reunindo os critérios exigidos no regulamento, melhor contribua, pela sua relevância, pertinência, originalidade e grau de inovação, para o avanço da disciplina da Bioética, nas suas diversas vertentes.

A apresentação das candidaturas decorre no período de 1 a 31 de janeiro, sendo que podem concorrer, na qualidade de primeiro autor, jovens com idade até 35 anos, nacionais ou estrangeiros, individualmente ou em coautoria. Cada concorrente apenas poderá subscrever um trabalho.

O prémio e as menções honrosas, caso tenham sido atribuídas, e respetivos diplomas, serão entregues em cerimónia pública a realizar no ano subsequente ao da realização do procedimento, por ocasião da celebração do Dia Mundial da Saúde, a 7 de abril.

O júri deste prémio será presidido pela ex-ministra da Saúde Prof. Doutora Maria de Belém Roseira, contando ainda com o Prof. Doutor Jorge Manuel de Oliveira Soares, a Dr.ª Paula Martinho da Silva, o Prof. Doutor Fernando de Jesus Regateiro e o Prof. Doutor Walter Friedrich Alfred Osswald.

 

 

Recorde-se que o Prof. Doutor João Lobo Antunes morreu a 27 de outubro de 2016, aos 72 anos.

Fonte: SNS

Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019