Presidente da República distingue Unidade de Neurocríticos do Hospital S. José
05/09/2017 17:17:48
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Presidente da República distingue Unidade de Neurocríticos do Hospital S. José

O Prof. Doutor Marcelo Rebelo de Sousa condecorou hoje, dia 5 de setembro, ao final da manhã, as equipas de Obstetrícia e da Unidade de Neurocríticos do Centro Hospitalar de Lisboa Central que colaboraram no caso de Lourenço Salvador, o bebé que nasceu em junho do ano passado, no Hospital de S. José, depois de a mãe ter sofrido morte cerebral.

Durante a cerimónia que decorreu no Salão Nobre do Hospital de S. José, o Presidente da República esclareceu que esta distinção não pretende ser “um testemunho de gratidão a uma equipa alargada, multidisciplinar”, mas representa também “um alerta” contra o egoísmo. Assim, sublinhou, as pessoas deverão “olhar um bocadinho para os outros” e considerar “que aqueles que conseguiram fazer aquilo que alguns consideraram o milagre do Lourenço, fazem todos os dias esses milagres”, revela o Diário de Notícias.

Num discurso em que agradeceu a dedicação dos profissionais do Serviço Nacional de Saúde (SNS), o chefe de Estado salientou: “As pessoas não estão aqui - por muito importante que seja o estatuto profissional, e é - por causa do estatuto profissional. As pessoas não estão aqui por causa do conceito social, não estão aqui por causa da publicidade daquilo que fazem”.

De acordo com as equipas médicas que acompanharam o caso do bebé Lourenço Salvador, trata-se do período mais longo alguma vez registado em Portugal – 15 semanas – de sobrevivência de um feto em que a mãe está em morte cerebral. A cerimónia de condecoração das equipas médicas contou também com a presença do ministro da Saúde, o Prof. Doutor Adalberto Campos Fernandes.


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019