Já é possível realizar uma ecoendoscopia digestiva no CHL
26/07/2017 17:27:41
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Já é possível realizar uma ecoendoscopia digestiva no CHL

Os utentes do Centro Hospitalar de Leiria (CHL) já podem realizar o exame de ecoendoscopia digestiva no Hospital de Santo André. De acordo com a unidade hospitalar, o novo equipamento alia uma resposta mais eficaz e mais segurança.

A diretora do Serviço de Gastrenterologia do CHL, onde está instalado o novo equipamento, Dr.ª Helena Vasconcelos, refere que aquele serviço “já dispõe de todos os meios técnicos necessários à realização de ecoendoscopia digestiva alta e baixa, permitindo dar resposta à maioria das indicações mais recentes da técnica”.

O novo aparelho, que resulta de um investimento de mais de 261 mil euros, permite efetuar mais exames e intervenções, com mais eficácia e segurança para os utentes, e assume cada vez maior relevância na prática clínica, na caracterização e estadiamento de tumores do tubo digestivo, bem como na avaliação da patologia do pâncreas e vias biliares.

A responsável explica ainda que numa primeira fase o serviço contará com a colaboração semanal do Dr. Eduardo Pereira, da Unidade Local de Saúde de Castelo Branco, “com vasta experiência em ecoendoscopia diagnóstica e terapêutica, o que contribuirá para a formação de vários especialistas do Serviço de Gastrenterologia do Centro Hospitalar de Leiria”.

De acordo com a notícia publicada na página do Centro Hospitalar há estudos que demonstram que a ecoendoscopia é um método eficaz no estadiamento de neoplasias do esófago, estômago e reto, na deteção de cancro pancreático, na deteção e estadiamento de neoplasias peri-ampulares e eficaz também na deteção da coledocolitíase. Assim, é atualmente o método mais sensível para o diagnóstico de pancreatite crónica.

O Dr. Hélder Roque, presidente do Conselho de Administração do CHL, salienta que a aquisição do novo equipamento para a realização de ecoendoscopias “é mais um contributo para a inovação do nosso centro hospitalar. Trata-se de um esforço de investimento para continuarmos a modernizar e a acrescentar valor aos nossos serviços, de forma a podermos responder localmente às necessidades crescentes dos nossos utentes”.


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019