Hospital da Luz instala equipamento inovador para rastreio de tumores
14/07/2017 16:18:29
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Hospital da Luz instala equipamento inovador para rastreio de tumores

O Hospital da Luz anunciou que foi instalado um tomógrafo computorizado da Siemens Healthineers, um equipamento que reduz em até 50% a dose de radiação emitida comparativamente a um raio-x convencional. O Hospital da Luz Lisboa torna-se assim a primeira unidade da península ibérica a deter este equipamento inovador.

O novo tomógrafo computorizado da Siemens Healthineers permite obter “excelentes resultados na prevenção por rastreio de tumores, com doses de radiação baixas e proporcionando maior eficácia na tomada de decisão clínica”, informa a unidade hospitalar em comunicado de imprensa. Para além disto, representa ainda uma possibilidade de fazer exames a bebés e crianças sem sedação e fazer um exame de corpo inteiro em menos de três segundos.

Um equipamento topo de gama que “apresenta enormes vantagens para os pacientes e médicos” diz o Dr. Ivan França. O presidente da Siemens Healthineers garante que para além da avançada rapidez na aquisição de imagens, este dispositivo é “uma mais-valia na avaliação de pacientes com dificuldades respiratórias, idosos ou pacientes que tenham dificuldade em colaborar”.

Já para o Dr. Augusto Gaspar, médico radiologista e coordenador do Centro de Imagiologia do Hospital da Luz Lisboa, o equipamento representa um “salto qualitativo” para o trabalho desenvolvido naquela unidade hospitalar. “Permite realizar exames muito detalhados, que identificam tecidos e, por isso, vão além do diagnóstico morfológico. Vamos assim ter mais informação para um diagnóstico mais eficaz que dê um melhor suporte às nossas decisões clínicas”, conclui.

Este equipamento vem revolucionar o mundo da tomografia computorizada, permitindo realizar os exames mais rápido, com uma menor dose de radiação, mais qualidade da imagem e, por isso, mais precisão no diagnóstico e sem limitações em termos de doentes – permite realizar os exames em doentes obesos, com frequências cardíacas elevadas e irregulares, doentes pediátricos e ainda doentes não cooperantes.


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019