Estudantes universitários participam no Angelini University Award
28/06/2017 15:11:45
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Estudantes universitários participam no Angelini University Award

Os estudantes universitários portugueses aceitaram o desafio da 8.ª edição do Angelini University Award (AUA!) – desenvolver projetos multidisciplinares e com aplicabilidade prática, relacionados com a resistência antibiótica. Este ano há 45 projetos a concorrer às duas bolsas de investigação disponíveis. Os vencedores do concurso, que visa estimular a sua criatividade e inovação, são conhecidos em outubro.

Os prémios promovidos pela farmacêutica Angelini destinam-se a atribuir bolsas de investigação. Ao grupo vencedor será atribuída uma bolsa no valor de 8.000 euros (5.000€ para os candidatos, 2.000€ para professores ou orientadores e os restantes 1.000€ para os project advisors). O segundo prémio será de 4.000€, distribuídos também entre os participantes do grupo.

Os subtemas sugeridos dentro do mote desta edição, são diversos, entre os quais: o consumo de antibióticos na comunidade, soluções para promover um consumo correto de antibióticos e novas estratégias que permitam desenvolver novos antibióticos contra bactérias resistentes.

Desde o seu lançamento em 2009, o AUA!, que já tratou temas como a nutrição, o desporto, a sustentabilidade do Sistema Nacional de Saúde e os cuidados paliativos em doentes oncológicos, recebeu 383 inscrições, de 108 universidades e politécnicos, envolvendo mais de 1.200 candidatos e 230 docentes de acompanhamento. No total foram entregues 64 mil euros em bolsas de investigação. As 3.ª, 4.ª e 5.ª edições do AUA! ultrapassaram as fronteiras portuguesas e abrangeram instituições do Brasil, de Angola e de Moçambique.

 

Vídeo


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019