Fast Track Cities: Abraço, GAT e Ser+ integram grupo de trabalho para a eliminação do VIH
25/05/2017 15:02:04
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Fast Track Cities: Abraço, GAT e Ser+ integram grupo de trabalho para a eliminação do VIH

A Abraço, o Grupo de Ativistas em Tratamentos (GAT) e a Associação Portuguesa para a Prevenção e Desafio à SIDA (Ser+), no âmbito do projeto das Fast Track Cities (FTC) portuguesas, cidades que pretendem erradicar o vírus da imunodeficiência humana (VIH) até 2030, foram convidadas pelo Ministério Saúde para integrar um grupo de trabalho que permite analisar o potencial de outras urbes para integrarem as FCT. No dia 29 de maio, as três entidades assinam o documento que oficializa esta parceria, no Auditório do INFARMED, Lisboa.

Nesta data, o Município de Cascais assina também o protocolo que o torna a primeira FCT portuguesa e vão ser apresentados os números de 2016 referente ao VIH e os programas nacionais, tanto para o VIH como para as hepatites virais, tuberculose e outras infeções sexualmente transmissíveis (IST's).

Com a criação deste grupo de trabalho, existe a possibilidade de apoiar outras associações que queiram promover a adesão às FTC de cidades consideradas prioritárias. Vários municípios demonstraram já a sua vontade em promover Portugal como um Fast Track Country, tendo por base os objetivos da Declaração de Paris, chegar aos 90-90-90 em 2020 (90% das pessoas com VIH diagnosticadas; destas, 90% em tratamento; e 90% com carga viral indetetável). Sempre que possível, o grupo deve incluir os objetivos e recomendações/orientações internacionais (nomeadamente da Organização Mundial da Saúde e do European Centre of Disease Prevention and Control) para as hepatites virais, tuberculose e IST’s e fazer ligação com estas instituições.

As intervenções do grupo de trabalho devem ter por base o melhor conhecimento científico disponível, o respeito e promoção dos direitos humanos e o fim de quaisquer formas de discriminação. Deve ainda identificar e eliminar barreiras no âmbito da prevenção, rastreio, acesso ao tratamento, ligação e retenção nos cuidados de Saúde e literacia em Saúde.

Consulte aqui o programa da reunião.


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019