Insulina glargina 300 unidades/ml demonstra uma redução significativa de hipoglicemia na diabetes tipo 2
24/04/2017 16:40:46
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Insulina glargina 300 unidades/ml demonstra uma redução significativa de hipoglicemia na diabetes tipo 2

A Sanofi acaba de anunciar a apresentação de um novo estudo observacional, de vida real, que demonstra um risco significativamente menor de hipoglicemia, sem que haja comprometimento do controlo de açúcar no sangue, em doentes com diabetes tipo 2 (T2D) tratados com insulina basal que mudaram para insulina glargina 300 unidades/mL, quando comparado com outras insulinas basais.

Os resultados do estudo foram apresentados no Endocrine Society 2017 Annual Meeting (ENDO 2017) em Orlando, Estados Unidos da América (EUA).

O estudo observacional, DELIVER 1, avaliou a mudança na HbA1c (níveis médios de açúcar no sangue) e a ocorrência de hipoglicemia em 881 doentes, com base em registos médicos eletrónicos até seis meses após a mudança de outra insulina basal para insulina glargina 300 unidades/mL. Este novo estudo observacional, DELIVER 2, analisou registos médicos de 1.894 doentes em dois grupos correspondentes. O estudo comparativo avaliou a alteração da HbA1c, a ocorrência de hipoglicemias (identificada pelo ICD-9-CM/ICD-10-CM e / ou nível de glicose plasmática ≤ 70 mg/dL) e os eventos hipoglicémicos relacionados com consultas internas ou de emergência (SU) com insulina glargina 300 unidades/mL versus outra insulina basal (insulina glargina 100 Unidades / mL, insulina detemir e insulina degludec).

No estudo DELIVER 2, depois de seis meses, os doentes que mudaram para insulina glargina 300 unidades/mL tiveram menos 33% de eventos hipoglicémicos (taxa de eventos por 100 doentes-mês: 5,32 versus 7,98, respetivamente, p <0,01) versus aqueles que mudaram para outra insulina basal, sem comprometerem o controlo do açúcar no sangue. Além disso, os doentes que mudaram para insulina glargina 300 unidades/mL mostraram uma redução de 48% nos eventos hipoglicémicos relacionados com a necessidade de internamento ou recurso ao serviço de urgência (taxa de eventos por 100 doentes-mês: 1,97 versus 3,82, respectivamente, p <0,01) versus outras insulinas basais.

“Com estes estudos DELIVER 1 e 2 realizados em contexto real, vemos que o tratamento com insulina glargina 300 unidades/mL leva a menos hipoglicemias sem que haja comprometimento do controlo do açúcar no sangue”, refere a Dr.ª Lawrence Blonfe, diretora da Oschner Diabetes Clinical Reserach Unit, no Frank Riddick Diabetes Institute no Oschner Medical Center-Jefferson Highway, EUA, e co-autora do DELIVER 2. “De particular importância, é a menor taxa observada de eventos hipoglicémicos relacionados com necessidade de internamento ou recurso ao serviço de urgência”.

"As visitas ao hospital são um contributo importante para o custo global dos cuidados prestados a pessoas com diabetes, por isso a menor taxa de eventos relacionados com a hipoglicemia é particularmente interessante. Estes resultados consistentes, aumentam a evidência sobre o uso de insulina glargina 300 unidades/mL em pessoas com diabetes tipo 2 a partir de estudos observacionais. Enquanto os ensaios clínicos aleatorizados fornecem o maior nível de evidência, os dados comparativos de estudos observacionais feitos em contexto real podem ser relevantes para as entidades pagadoras e outras organizações que avaliam a forma como as conclusões dos ensaios clínicos se traduzem na prática clínica diária” defende o Dr. Riccardo Perfetti, diretor da equipa médica global da área da diabetes da ‎Sanofi."A Sanofi está empenhada em ir além dos modelos tradicionais para conduzir mais estudos para avaliar a insulina glargina 300 unidades/mL, combinando grupos grandes com o tipo de interação que existe entre os profissionais de saúde e os doentes no atendimento diário e aplicando a metodologia rigorosa dos ensaios clínicos. O programa aleatorizado “Real Life Study”, fornecerá provas adicionais que refletem diretamente os resultados da insulina glargina 300 unidades/mL na prática clínica padrão."

Complementando esses estudos observacionais na prática clínica diária e do programa de ensaios clínicos de Fase 3 EDITION, a Sanofi está a conduzir um programa único na área da diabetes, de três estudos clínicos aleatorizados prospetivos e realizados em contexto de vida real com o insulina glargina 300 unidades/mL Estes estudos, ACHIEVE CONTROL, REACH CONTROL e REGAIN CONTROL, envolvem mais de 4.500 pessoas com diabetes tipo 2 nos EUA e na Europa, que estão a começar tratamentos de insulina basal ou mudaram de outra insulina basal. Além das medidas clínicas, os estudos irão também recolher o feedback dos doentes quanto à satisfação do tratamento e de que forma lidaram com a hipoglicemia, juntamente com o impacto na utilização dos recursos de Saúde. Os resultados iniciais estão previstos para o final de 2017.

Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019