Estudo confirma a importância do tratamento precoce com A1-PI em doentes com AATD
10/04/2017 16:12:52
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Estudo confirma a importância do tratamento precoce com A1-PI em doentes com AATD

A CSL Behring apresentou os dados que evidenciam a eficácia da terapêutica endovenosa com inibidor da alfa-1 proteínase (A1-PI), durante a 3.ª Conferência Internacional de Investigação e o 6.º Congresso Global de Doentes com Défice de Alfa-1, que decorreram em Lisboa de 5 a 8 de abril.

O Dr. Alan Altraja, investigador principal e professor de Pneumologia da Universidade de Tartu, Estónia, apresentou os resultados do estudo RAPID de extensão (RAPID OLE) nesta conferência anual. “O ensaio clínico RAPID é um marco importante que demonstra evidência para o efeito modificador da doença com a terapêutica com A1-PI na progressão do enfisema em doentes com défice grave de alfa-1 antitripsina (AATD). Os resultados do RAPID OLE confirmam a importância do tratamento precoce com A1-PI”, afirma o especialista.

“Na CSL Behring estamos orgulhosos por manter o nosso compromisso para com os doentes com doenças raras e graves, incluindo a comunidade de doentes com AATD”, acrescenta o Dr. Lutz Bonacker, vice-presidente sénior para a Europa da CSL Behring. “Através de estudos clínicos como o RAPID, continuamos a cumprir a nossa promessa de avançar no conhecimento de doenças como o AATD e melhorar a qualidade de vida e outomes clínicos dos doentes através de terapêuticas eficazes”, acrescenta.

“Os resultados do ensaio clínico RAPID e RAPID-OLE, apresentados durante a conferência, revelam resultados muito interessantes. O estudo RAPID-OLE comprova a eficácia da terapêutica com A1-PI na redução da progressão do enfisema, demonstrada no estudo RAPID de dupla ocultação. O efeito modificador da doença foi mantido por quatro anos”, refere o Dr. Paulo Lopes, pneumologista do Hospital Universitário de Coimbra e coordenador do Núcleo de Estudos Alfa-1 da Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP). O especialista acrescenta ainda que “o estudo RAPID-OLE vem demonstrar que nunca é tarde para iniciar a terapêutica com A1-PI. No entanto, quanto mais precocemente for iniciada melhor será pois uma vez ocorrida a perda de densidade pulmonar, esta não é recuperada”.


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019