Epilepsia em doentes com esclerose tuberosa ainda não é controlada
10/03/2017 16:17:48
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Epilepsia em doentes com esclerose tuberosa ainda não é controlada

Em Portugal, existem cerca de 1.600 pessoas com esclerose tuberosa, das quais 80% sofre de epilepsia. Mesmo os doentes medicados para a epilepsia continuam a ter convulsões, podendo vir a sofrer de incapacidades neuropsicológicas, cognitivas, sociais ou de aprendizagem. O alerta é dado pela Associação de Esclerose Tuberosa em Portugal (AETP), em comunicado.

De acordo com a associação, grande parte dos doentes com esclerose tuberosa toma a medicação para a epilepsia, contudo, continuam a não estar controlados e a ter convulsões, o que pode provocar consequências graves na sua qualidade de vida.

“Recentemente foi aprovada, na União Europeia, uma terapêutica auxiliar especificamente para tratar convulsões com início parcial em crianças e adultos com esclerose tuberosa. Seria um enorme avanço para o país, se todos os nossos doentes pudessem beneficiar destas terapêuticas inovadoras”, afirma Micaela Rozenberg, presidente da AETP.

Apesar de ser uma doença rara para a qual ainda não se conhece cura, atualmente estão disponíveis medicamentos para o tratamento dos diferentes sintomas. Os sinais e prognóstico variam de caso para caso, em função dos órgãos envolvidos e da gravidade dos sintomas, sendo os mais comuns alterações cutâneas e convulsões.

“Este é um problema que tem vindo a preocupar muito. Durante a sua vida, grande parte dos bebés com esclerose tuberosa têm um episódio convulsivo ainda no primeiro ano de vida e é preciso pensar nesta situação”, conclui Micaela Rozenberg.

Os tumores benignos cerebrais e renais são também frequentes e revelam risco de vida para os doentes com esclerose tuberosa.

Mais informações em www.esclerosetuberosa.org.pt


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019