Aprovada comparticipação do adalimumab para tratamento da hidradenite supurativa ativa
27/01/2017 17:39:41
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Aprovada comparticipação do adalimumab para tratamento da hidradenite supurativa ativa

A Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (INFARMED) aprovou a comparticipação de adalimumab, da AbbVie, para o tratamento da hidradenite supurativa ativa, moderada a grave, sempre que prescrito pelo médico dermatologista em consultas especializadas, no diagnóstico e tratamento da hidradenite supurativa, nos hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS) e nos hospitais privados. Adalimumab é, neste momento, o primeiro e único medicamento aprovado para o tratamento da hidradenite supurativa na União Europeia.

De acordo com a Portaria n.º 38/2017, referente à hidradenite supurativa, a dispensa será feita exclusivamente através dos serviços farmacêuticos nos hospitais do SNS e os encargos serão imputados “ao hospital do SNS onde o mesmo é prescrito, salvo se a responsabilidade pelo encargo couber legal ou contratualmente a qualquer subsistema de Saúde, empresa seguradora ou outra entidade pública ou privada” e/ou “à Administração Regional de Saúde (ARS) territorialmente competente, nos demais casos, salvo se a responsabilidade pelo encargo couber, legal ou contratualmente, a qualquer subsistema de Saúde, empresa seguradora ou outra entidade pública ou privada”.

A hidradenite supurativa, por vezes referida pelos dermatologistas como acne inversa, é uma doença inflamatória, crónica e dolorosa da pele. Estima-se que afete 1% da população adulta em todo o mundo mas a sua prevalência pode variar de país para país. É caracterizada pelo aparecimento recorrente de abcessos e nódulos, acompanhados de dor, essencialmente nas zonas das axilas e virilhas, nádegas e submamária. A hidradenite supurativa pode ter um impacto considerável no dia-a-dia dos doentes, no seu desempenho profissional, nas suas atividades físicas e no seu estado emocional.

A hidradenite supurativa pode ser progressiva em algumas pessoas e, por isso, é importante que o diagnóstico e o tratamento sejam feitos o mais cedo possível. Pode ser difícil e muitos doentes já passaram por situações de demora no diagnóstico e tratamento. É importante que os doentes de hidradenite supurativa ou outras pessoas que pensem poder ter a doença sejam aconselhados por um dermatologistas que esteja preparado para reconhecer e tratar a hidradenite supurativa.

“A aprovação de adalimumab é um marco na vida das pessoas com hidradenite supurativa que, até este momento, não tinham ao seu dispor nenhum tratamento aprovado”, afirma Renaud Decroix, diretor geral da AbbVie Portugal. “Na AbbVie estamos muito satisfeitos por podermos contribuir para melhorar a qualidade de vida destes doentes, colocando ao seu dispor o único tratamento aprovado para esta doença a nível mundial”.

Desde a sua primeira aprovação, há 14 anos, o adalimumab já foi aprovado em mais de 87 países. Atualmente é utilizado para tratar mais de um milhão de doentes em todo o mundo, em 13 indicações aprovadas globalmente.


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019