CHMP defende redução do limite de peso e de idade de dolutegravir em jovens com VIH
18/01/2017 17:22:24
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
CHMP defende redução do limite de peso e de idade de dolutegravir em jovens com VIH

A ViiV Healthcare anunciou recentemente que o Comité de Medicamentos de Uso Humano (CHMP) adotou uma opinião favorável sobre a alteração de tipo II e os pedidos de extensão para reduzir o limite de peso e de idade para o tratamento da infeção por VIH em crianças e adolescentes com dolutegravir, de pelo menos 40 kg para pelo menos 15 kg, e em idades compreendidas entre os seis anos e idade inferior a 12 anos, e o registo de novas dosagens de comprimidos de 10 mg e 25 mg para administração oral.

No seguimento da opinião favorável e de uma alteração final subsequente à autorização de introdução no mercado pela Agência Europeia do Medicamento (EMA), mais crianças e adolescentes ficarão elegíveis para a terapêutica com dolutegravir em 28 estados-membros da União Europeia, assim como na Islândia, Noruega e Liechtenstein. Com esta alteração, a dose recomendada para crianças a partir dos seis a menos de 12 anos de idade será determinada de acordo com o peso, variando entre uma dose de 20 mg uma vez por dia, para crianças que pesem entre 15 kg a 20 kg, e uma dose de 50 mg uma vez por dia, para crianças que pesem pelo menos 40 kg. Esta posologia de acordo com o peso reflete as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) referentes ao tratamento da infeção por VIH na população pediátrica.

“Os jovens que vivem com infeção por VIH enfrentam o desafio de controlar uma doença crónica durante toda a vida. Atualmente, as opções terapêuticas disponíveis são limitadas, fazendo com que quaisquer novas opções de tratamento aprovadas para esta população de doentes sejam particularmente importantes”, afirma o Dr. John C. Pottage, Jr., chief scientific e medical officer da ViiV Healthcare. “Comprometemo-nos, através dos nossos planos de investigação e de desenvolvimento, estudar aprofundadamente o potencial do dolutegravir em grupos etários mais jovens e em concretizar a nossa promessa de não deixar para trás nenhum doente”, acrescenta.

Esta opinião favorável baseia-se nos dados de 24 semanas do estudo P1093, de fase I/II, aberto, multicêntrico, realizado em colaboração com o Grupo Internacional de Estudos Clínicos sobre SIDA Materna, Pediátrica e Adolescente (IMPAACT - International Maternal Pediatric Adolescent AIDS Clinical Trials Group). O IMPAACT P1093 é um estudo da farmacocinética (PK), segurança e eficácia de dolutegravir, associado a um regime de base otimizado (RBO) em crianças e adolescentes infetados por VIH-1 em coortes definidas por idade.

Os resultados do estudo demonstram que o tratamento com dolutegravir mais o RBO foi, no geral, bem tolerado e eficaz até à semana 24, em crianças e adolescentes infetados por VIH, com idades compreendidas entre os seis e os 12 anos de idade e com pelo menos de 30 kg de peso. O perfil de acontecimentos adversos (AA) no estudo foi semelhante ao dos adultos. Os AAs de grau 2 notificados por mais do que um doente foram a diminuição do número de neutrófilos (n=3) e diarreia (n=2). Não houve AAs de grau 3 ou 4 relacionados com o medicamento, e nenhum AA que levasse à descontinuação do fármaco.


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019