Barómetro RD destaca a necessidade urgente de reduzir o risco desnecessário da perda de visão
Barómetro RD destaca a necessidade urgente de reduzir o risco desnecessário da perda de visão

O estudo Barómetro RD, apresentado no passado dia 25 de novembro, na sede da APDP, em Lisboa, revelou algumas conclusões alarmantes sobre a atual gestão da retinopatia diabética (RD) e do edema macular diabético (EMD). A propósito da apresentação dos resultados do estudo, o Dr. Luís Gardete Correia, presidente da Associação Protectora de Diabéticos de Portugal (APDP), afirma em entrevista à News Farma que "é preciso que as pessoas estejam bem informadas e bem-educadas em termos terapêuticos, para que possam ser elas próprias a tomar a iniciativa na discussão" e atuar, nomeadamente na vigilância das complicações. Assista à entrevista em vídeo.

O estudo, realizado com a colaboração de especialistas da Federação Internacional sobre o Envelhecimento (IFA), da Federação Internacional de Diabetes (IDF), da Agência Internacional para a Prevenção da Cegueira (IAPB) e a Bayer, concluiu que apesar da perda de visão ser uma complicação duas vezes mais frequente que outras complicações comuns da diabetes, incluindo doenças cardiovasculares e acidentes vasculares cerebrais, um quarto das pessoas com diabetes não discute complicações oftalmológicas com o seu profissional de Saúde, mesmo quando muitas delas já apresentam problemas de visão.

"O tema do Dia Mundial da Diabetes este ano é" Olhos na Diabetes ", que reflete o quão crítico é o papel da saúde ocular dentro da gestão da diabetes", disse o Dr. Luís Gardete Correia. “O estudo do Barómetro RD revela lacunas preocupantes na atual gestão da doença ocular diabética e fornece medidas práticas que devem ser adotadas, a fim de prevenir a perda de visão desnecessária devida à diabetes".

O relatório do Barómetro RD revela ainda que 79% das pessoas com RD acham que a sua perda de visão torna difíceis atividades como conduzir, ir para o trabalho e completar tarefas domésticas simples e, em alguns casos, admitem mesmo que são atividades impossíveis. 20% das pessoas com RD ou EMD também afirmam que as alterações sentidas na sua visão deixam-nos menos capazes de gerir a sua doença. Esta é uma das questões mencionadas na perceção das pessoas sobre a sua Saúde física, e em que mais da metade dos entrevistados com RD classificou como "entre pobre a normal".

Uma das principais barreiras para a gestão otimizada da doença ocular diabética destacada no relatório Barómetro RD é o acesso aos exames oftalmológicos, que constituem um passo crítico na deteção e gestão da RD. Quer os oftalmologistas, quer os doentes diabéticos que participaram no estudo relataram "longos períodos de espera para marcar uma consulta” como sendo a maior barreira para otimizar a Saúde ocular. Uma em cada três pessoas com diabetes que participaram no estudo também confirmam que, mesmo quando podem marcar uma consulta, o custo do exame em si pode ser proibitivo e 24% dos doentes disse que os tempos de espera na clínica era mais uma questão a assinalar.

Além de expor o desajuste dentro dos sistemas de Saúde, o estudo Barómetro RD revela que metade de todos os prestadores pesquisados não possuem protocolos escritos para a deteção e gestão de problemas relacionados com a visão associada à diabetes.

A capacidade e custo de realização de rastreio, juntamente com uma falta de clareza em torno de diretrizes, coloca os doentes diabéticos em risco, com atraso no diagnóstico e tratamento para a doença do olho diabético. Cerca de dois terços dos oftalmologistas pesquisados acreditam que o diagnóstico tardio é a principal barreira para uma melhoraria dos resultados, onde mais de metade revela que as pessoas com diabetes aparecem quando os problemas de visão já ocorreram e, em muitos casos, quando já é tarde demais para o tratamento.

Os especialistas envolvidos no relatório sugerem que um elemento crucial para melhorar resultados é a realização de exames oftalmológicos para diabéticos de fácil acesso, económicos e regulares, juntamente com um tratamento a preços acessíveis dentro de um sistema coordenado, para garantir que quem está em risco de perda de visão é monitorizado e acompanhado. O estudo Barómetro RD também apela a um aumento significativo da educação, para os diabéticos e para os profissionais de Saúde, no que diz respeito à prevenção, deteção e tratamento de RD e EMD. Igualmente importante é dar ferramentas aos diabéticos para que possam gerir as consequências da sua diabetes e prevenir, logo à partida, a perda de visão.

Para mais informações e para fazer o download dos resultados completos do Barómetro RD, clique aqui.

 

Vídeo


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019