OncoStats é a primeira empresa portuguesa de Saúde a financiar-se na Seedrs
05/12/2016 12:37:34
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
OncoStats é a primeira empresa portuguesa de Saúde a financiar-se na Seedrs

A medtech portuguesa OncoStats lançou recentemente uma operação de venda de ações em equity crowdfunding. A startup que pretende mudar a prática da oncologia no mundo torna-se assim na primeira empresa portuguesa do setor da Saúde a recorrer à Seedrs, a maior plataforma de equity crowdfunding europeia, com o objetivo de angariar financiamento por parte de investidores mundiais.

A empresa, avaliada em 2,25 milhões de euros, vai colocar no mercado 10% do seu capital, pretendendo captar até 250 mil euros. O valor angariado servirá para financiar a criação de uma equipa a full time para o desenvolvimento e internacionalização da OncoStats que, numa primeira fase, contará com sete cargos neste regime: um gestor executivo, três software developers, um designer, um investigador e um administrativo. Esta equipa assumirá a operação da OncoStats, tanto a nível nacional como internacional.

A campanha, que atingiu mais de 25% do objetivo só no primeiro dia, está ativa durante os próximos 60 dias, em https://www.seedrs.com/oncostats.

Para o Dr. Miguel Borges, CEO e um dos três co-fundadores da OncoStats, “este investimento tem como objetivo concretizar a equipa do OncoStats que vai ser responsável pelo amadurecer da plataforma, pela expansão a outros tipos de cancro (já que demos início com o cancro da mama) e a sua instalação em diversos hospitais portugueses”. Acrescenta ainda que “Portugal é a nossa rampa de lançamento para o mundo mas, por outro lado, é esta mesma equipa que vai iniciar a estratégia de internacionalização no Brasil e em três mercados europeus — Reino Unido, Alemanha e Suíça.”

A OncoStats permite que as informações clínicas sejam registadas de forma sistemática e estruturada numa plataforma desenhada por médicos e para médicos, sendo cada registo previamente validado por estes profissionais. Os doentes também podem comunicar informações e efeitos durante os tratamentos ambulatórios com as equipas clínicas, envolvendo-se no tratamento através de uma aplicação móvel.

“O facto de uma empresa do setor da Saúde estar a recorrer a este modelo de financiamento é um excelente sinal e demonstra que qualquer startup pode realizar campanhas na Seedrs, independentemente da sua área ou ramo de atividade. Esperamos que seja mais um caso de sucesso e abra a portas a outras empresas do sector”, afirma o Dr. Filipe Portela, diretor de desenvolvimento de negócios da Seedrs.


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019