ANFQ espera definição de centros de referência para tratamento da patologia
ANFQ espera definição de centros de referência para tratamento da patologia

A propósito do Dia Europeu da Fibrose Quística, que se assinala hoje, dia 21 de novembro, a Associação Nacional de Fibrose Quística (ANFQ) relembra a necessidade de definição de centros de referência para o tratamento e acompanhamento de doentes com esta patologia.

“Estes centros são um passo importante para o seguimento dos doentes e também para o desenvolvimento da investigação multicêntrica em Portugal”, defende Celeste Barreto, coordenadora científica da ANFQ.

No Despacho nº 9415/2016, o Governo confirma a necessidade de reconhecimento de centros de referência para a fibrose quística (FQ) durante o ano de 2016. Segundo Celeste Barreto, “aguarda-se que seja aberto o aviso de abertura para as candidaturas a centro, onde serão definidos os critérios exigíveis, como: número de doentes em seguimento, constituição das equipas multidisciplinares, apoios de especialidades, meios complementares de diagnóstico e seguimento, investigação, ligações a redes europeias, etc.”.

A necessidade absoluta de centros de referência tem sido uma das preocupações da ANFQ, pois estes centros têm a capacidade de garantir um alto nível de cuidados médicos que permita aos doentes beneficiar de todas as opções diagnósticas e terapêuticas que lhes possibilitem uma maior e melhor esperança de vida, melhor qualidade de vida e redução dos custos sociais e económicos da doença.

Para assinalar o Dia Europeu da Fibrose Quística, a ANFQ vai promover uma sessão informativa e de troca de experiências, que se realiza no próximo sábado, dia 26 de novembro, na Universidade Católica Portuguesa em Lisboa, a partir das 09h30.


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019