XVI CNP: Especialistas falam na importância de existirem consultas de Podologia no SNS
03/09/2021 12:22:36
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
XVI CNP: Especialistas falam na importância de existirem consultas de Podologia no SNS
A Associação Portuguesa de Podologia (APP) reúne-se esta sexta-feira e sábado, dias 3 e 4 de setembro, no XVI Congresso Nacional de Podologia (CNP), no Terminal de Cruzeiros do Porto de Leixões, no Porto.

“Este congresso demonstra a resiliência da Podologia. Mesmo num contexto de dificuldades, em consequência da pandemia COVID-19, o congresso realiza-se com todas as condições de segurança e isso para nós é muito gratificante. Nestes dois dias pretendemos dar mais formação aos nossos podologistas para que a resposta aos nossos doentes seja mais diferenciadora, inovadora. Igualmente pretendemos que a Podologia se afirme junto da sociedade clínica e científica, das sociedades médicas e também da população em geral, pois, quem ganha, é a saúde pública e a população em geral”, refere o Prof. Doutor Manuel Portela, presidente da APP.

A iniciativa, dirigida a podologistas e que, este ano, reúne 200 participantes, junta à mesa especialistas de Portugal, Espanha e também EUA que vão debater novos conceitos, tratamentos e últimas inovações científicas nas áreas de Podiatria Infantil, Dermopodiatria, Podiatria desportiva, biomecânica e Ortopodiatria, Podiatria clínica, Podiatria cirúrgica e pé diabético.

Para  o Prof. Doutor Manuel Portela, a valorização da podologia, junto das entidades de saúde, governo e da sociedade na identificação dos podologistas, enquanto profissionais essenciais no sistema de saúde português, é necessária e urgente. “É fulcral incluir os podologistas nas consultas, ou criar consultas de Podologia e multidisciplinares nos cuidados primários, para que os doentes diabéticos e com pé diabético possam ter uma resposta. Um doente com pé diabético não pode estar à espera de uma consulta no hospital durante um ou dois meses pois, até lá, ou é amputado ou morre! E esta é a realidade que temos no nosso país”.

Mais informações no site do congresso.


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019