Criada a primeira Comunidade de Prática para a promoção do rastreio do VIH e das hepatites virais em Portugal

26/07/21
Criada a primeira Comunidade de Prática para a promoção do rastreio do VIH e das hepatites virais em Portugal

Com o apoio da Gilead, vai surgir em Portugal a primeira Comunidade de Prática para a promoção do rastreio do VIH e das hepatites virais. Os peritos vão partilhar experiências, casos de sucesso e projetos que fortalecem a saúde pública e ajudam a detetar novos casos.

As organizações que integram o Programa FOCUS da Gilead reunem-se no próximo dia 28 de julho, Dia Mundial de Combate às Hepatites, para dar início à primeira Comunidade de Prática portuguesa dedicada ao rastreio e ligação aos cuidados de saúde de pessoas que vivem com VIH e hepatites virais. Esta nova comunidade de peritos reunir-se-á trimestralmente e trabalhará para reforçar a saúde pública, à medida que as organizações parceiras aprendem, partilham experiências e colaboram na resolução de problemas comuns para travar o VIH e os vírus das hepatites B e C. O objetivo principal do programa FOCUS passa por sistematizar o rastreio destas infeções, integrando-o no circuito clínico de saúde juntamente com outras análises sanguíneas.

Esta primeira reunião da Comunidade de Prática contará com a participação de todos os membros que integram o programa FOCUS em Portugal: Hospital de Cascais, Serviço de Saúde da Região Autónoma da Madeira (SESARAM) e Grupo de Ativistas em Tratamento (GAT), bem como outras entidades que poderão vir a aderir ao programa no futuro.

“Ao testarmos os doentes do serviço de urgência de forma automatizada, estamos a conseguir identificar mais pessoas infetadas e estamos a fazê-lo mais cedo no decurso da sua infeção, porque as testamos em fase assintomática, em que ainda não manifestam qualquer sinal ou sintoma de doença avançada”, refere a Dr.ª Inês Vaz Pinto, coordenadora da unidade de VIH do Hospital de Cascais. Com a nova estratégia de rastreio, o hospital conseguiu reduzir a percentagem de doentes diagnosticados em fase tardia de 90% para 40% dos casos, melhorando significativamente as suas oportunidades de viver uma vida mais longa e saudável.

Já na Região Autónoma da Madeira, e nas palavras do Dr. Vítor Magno Pereira, especialista em Gastrenterologia do Centro Hospitalar do Funchal, “este programa, que teve o importante apoio da Secretaria Regional da Saúde, em parceria com a Gilead Sciences, permitiu criar um rastreio alargado a toda a população utilizadora do sistema público de saúde, quer seja nas enfermarias e nas urgências nos cuidados hospitalares, quer nos cuidados de saúde primários”. O especialista avança também que a prevalência encontrada no arquipélago de 0,7% de pessoas com anticorpos contra o vírus da hepatite C, foi o dobro da que seria esperada com base nas estimativas nacionais. Graças ao apoio do Programa FOCUS, o Hospital Dr. Nélio Mendonça, do Funchal, foi ainda mais longe ao ter sido o primeiro na Península Ibérica a utilizar uma nova tecnologia para confirmar as infeções pelo vírus da hepatite C: o antigénio core. Este teste, tão fiável como o teste de RNA atualmente utilizado, porém menos dispendioso, vai permitir à Madeira testar a sua população mais rapidamente e de modo mais económico, num exemplo para o continente.

O Dr. Vítor Papão, diretor-geral da Gilead Sciences, destaca que “o programa FOCUS é uma iniciativa de saúde pública que permite aos parceiros desenvolver e partilhar as melhores práticas no rastreio de vírus transmitidos pelo sangue (VIH, Hepatite B e C), diagnóstico e ligação aos cuidados de saúde de acordo com as diretrizes de rastreio promulgadas pelas autoridades nacionais e em iniciativas como as Fast-Track Cities. A criação desta Comunidade de Prática é mais um esforço no sentido de continuarmos a apoiar o rastreio e a ligação das pessoas infetadas aos cuidados de saúde”.

Nestes três anos, o programa FOCUS estabeleceu parcerias com hospitais, centros de cuidados primários e organizações não governamentais em regiões-chave de Portugal e Espanha, permitindo aos parceiros a realização de 380 mil testes de VIH e hepatites virais B e C, tornando-o o maior programa de rastreio de vírus transmitidos pelo sangue em ambos os países até à data. O modelo orientador do programa FOCUS baseia-se na premissa de que os testes são integrados no fluxo clínico normal, utilizando a infraestrutura e o pessoal clínico existentes para criar eficiências.

Partilhar

Publicações