Projeto de inteligência artificial recebe apoio financeiro para melhorar a qualidade da  saúde
21/07/2021 15:39:07
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Projeto de inteligência artificial recebe apoio financeiro para melhorar a qualidade da saúde

A UpHill, o grupo Luz Saúde e a Faculdade de Engenharia da Universidade da Beira Interior (UBI) viram aprovado um projeto de Investigação e Desenvolvimento (I&D), com um incentivo no valor de um milhão de euros, para a otimização de clinical pathways. O objetivo é garantir que todos os doentes são tratados de acordo com a melhor evidência científica e, consequentemente, assegurar maior segurança e melhores resultados em saúde.

"A decisão clínica estará sempre rodeada de algum grau de incerteza, que pode ser de natureza técnica, pessoal ou conceptual. Não obstante, é possível mitigar a incerteza técnica e conceptual ao disponibilizar - no tempo e espaço em que a decisão clínica acontece - informação detalhada, atualizada, multidimensional e confiável, relacionada com a abordagem à doença ou síndrome em causa. É precisamente neste ponto que a UpHill tem vindo a focar, com o desenvolvimento de algoritmos de apoio à decisão clínica, e que agora vai elevar para um novo patamar.”, explica o Dr. Eduardo Freire Rodrigues, cofundador e CEO da UpHill.

“O addPath permitirá avançar significativamente o conhecimento técnico-científico nos desafios enunciados, providenciando respostas e soluções que ainda obstruem a adoção de clinical pathways, posicionando este projeto como uma componente fundamental para a implementação generalizada da Saúde baseada na evidência, a nível local, nacional e internacional”, acrescenta.

Já o Dr. Filipe Costa, Head of Value Based Healthcare do Grupo Luz Saúde acrescenta: “O grupo Luz Saúde tem um projeto de Value based Healthcare (Saúde Baseada no Valor) que pretende melhorar a cadeia de valor ao longo de todo o ciclo de cuidados. Para implementar esta visão é essencial dotar as equipas de instrumentos que potenciem a efetividade da decisão clínica. O conceito de VBHC em que estas iniciativas se baseiam, têm repercussão tanto em termos de resultados para os doentes, como na redução da variabilidade da prestação de cuidados e, consequentemente, um grande impacto nos custos das unidades de saúde.”

A Prof.ª Doutora Sílvia Socorro, vice-reitora para a Investigação, Inovação e Desenvolvimento da UBI, acrescenta que “este é um projeto da máxima relevância pelo impacto que pode ter na melhoria da decisão clínica, quer para os profissionais de saúde, que melhoram a eficácia do seu desempenho, quer para os doentes que beneficiam da otimização das decisões adequadas à melhor resolução dos seus problemas de saúde”. “De referir ainda que o projeto addPath e a capacidade de inovação que lhe está associada estão em linha com os mais recentes avanços a nível internacional nesta área, esperando-se assim resultados muito promissores”, concluiu.

O projeto foi cofinanciado no âmbito dos incentivos à IDT +CO3SO do Portugal 2020, um conjunto de programas transversais e multissetoriais dedicados a empresas, entidades da economia social e entidades do sistema científico e tecnológico.


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019