Inaugurado o primeiro centro de endoscopia avançada em Portugal
25/06/2021 15:22:26
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Inaugurado o primeiro centro de endoscopia avançada em Portugal

A Lusíadas Saúde inaugura hoje o primeiro centro de endoscopia avançada do país, no Hospital Lusíadas Lisboa, no âmbito da patologia digestiva, disponibilizando procedimentos e meios técnicos inovadores para o diagnóstico e tratamento de doenças graves como os cancros colorretal, do estômago e do pâncreas, ou a obesidade.

O centro será equipado com os mais modernos aparelhos endoscópicos a nível mundial e composto por uma equipa de profissionais diferenciados, o Centro de Endoscopia Avançada de Lisboa (CEAL) possibilita a realização de um vasto conjunto de exames endoscópicos que permitem identificar todo o espectro de doenças digestivas benignas e malignas.

Para além da capacidade de diagnóstico preventivo, o CEAL promove o tratamento de lesões oncológicas precoces, como a remoção de tumores em fase inicial, sem necessidade de cirurgia, através de técnicas diferenciadas, como a dissecção submucosa ou FTRD, assim como meios de paliação oncológica endoscópica dos mais avançados, como a radioterapia endoluminal nos tumores do pâncreas e via biliares.

A criação de protocolos com profissionais de outras áreas, como Radiologia, Anatomia Patológica, Oncologia, Radioterapia e Cirurgia, dá origem a uma “Via Verde Oncológica”, através da qual os doentes passam a ter acesso, num prazo de sete dias após o diagnóstico, a um parecer interdisciplinar com estadiamento e com uma solução terapêutica integrada.

Um dos destaques deste novo centro é método de terapêutica endoscópica da obesidade, ao disponibilizar a inovadora cirurgia endoscópica minimamente invasiva (“Sleeve Endoscópico”, Método Apollo), que permite tratar de casos de Obesidade tipo I e II, através de uma simples endoscopia, sem qualquer incisão cirúrgica abdominal.

“Pela primeira vez em Portugal, o CEAL concentra os melhores meios de diagnóstico e tratamento de doenças graves do foro digestivo. Juntando esse facto a uma equipa clínica com provas dadas na vertente assistencial, estou certo de que temos todas as condições para dar uma resposta atempada e de qualidade aos desafios que enfrentamos nesta especialidade", afirma o Dr. David Martins Serra, coordenador do CEAL.


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019