COVID-19: Investigador do remdesivir nos EUA afirma que OMS errou na orientação 
26/03/2021 15:25:55
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
COVID-19: Investigador do remdesivir nos EUA afirma que OMS errou na orientação 

O investigador na Universidade do Nebraska, Prof. Doutor André Kalil, que integra a equipa de investigação do Remdesvir no tratamento da COVID-19 nos Estados Unidos da América (EUA), prestou declarações à CNN Brasil sobre a aprovação do medicamento no Brasil. O especialista garante que a orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS) para que o medicamento não seja utilizado contra a doença foi um equívoco.

"A OMS fez a recomendação de não administrar a medicação em função de estudos de baixo rigor científico. Infelizmente, o que aconteceu é que a avaliação deles incluiu vários estudos que não tiveram o mesmo rigor científico daqueles que fizemos aqui nos EUA", sublinha o Prof. Doutor André Kalil.

E acrescenta: "Quando se misturam estudos de baixo e alto rigor científico, fica difícil de interpretar exatamente o que está a acontecer do ponto de vista de eficácia e segurança.”

O investigador explica ainda que, atualmente, após se ter mais informação sobre o remdesivir, “é antiético não o administrar em pacientes que estão com pneumonia por COVID-19 no hospital".

Em novembro, a OMS atualizou as orientações sobre o tratamento da COVID-19 e desaconselhou o uso do antiviral para o tratamento de doentes hospitalizados, independentemente da gravidade da doença. 

Ainda assim, a 12 de março de 2021 a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou o uso do remdesivir contra a COVID-19 no Brasil. 


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019