CTT, DGS e ANTDR lançam etiquetas sobre o Dia Mundial da Tuberculose
24/03/2021 15:10:50
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
CTT, DGS e ANTDR lançam etiquetas sobre o Dia Mundial da Tuberculose

Através do Programa Nacional para a Tuberculose, a Direção-Geral da Saúde (DGS), juntamente com os CTT e a Associação Nacional de Tuberculose e Doenças Respiratórias (ANTDR) assinalam o Dia Mundial da Tuberculose com a emissão de etiquetas filatélicas alusivas a esta doença.

A iniciativa “nasce de um longo caminho já percorrido na resposta à tuberculose em Portugal”, realça a diretora do Programa Nacional para a Tuberculose da DGS, Prof.ª Doutora Isabel Carvalho. 

E acrescenta: “Atualmente, a tuberculose em Portugal, à semelhança da Europa, tem registado uma redução na sua incidência de forma sustentada e progressiva. O objetivo de eliminar a tuberculose até 2035, apesar de ambicioso, está ao alcance de todos nós. O aumento da literacia em tuberculose constitui uma ferramenta importante na rápida identificação de sinais ou sintomas de alerta e na decisão de procurar os cuidados de saúde necessários”.

Segundo o presidente da direção da ANTDR, Dr. José Manuel Reis Ferreira, “o âmbito de ação desta IPSS tem sido a literacia em questões relevantes da saúde respiratória e, assim, a sua vocação está em chegar da melhor forma aos grupos em risco e promover a discussão de problemas que os afligem”. 

“Os jovens das escolas nacionais foram durante muitos anos o nosso alvo preferencial nessa promoção, pois serão sempre o futuro do país. Por isso, desde cedo aderimos à elaboração de vinhetas que, por altura do início do ano letivo, eram lançadas na escola para estimular a discussão nas turmas e a aposição nas cartas que então, mais frequentemente que agora, se enviavam com carinho aos familiares e amigos, com os votos de boas festas. Muito nos agrada que os CTT em boa hora tenham escolhido o tema da tuberculose para se associarem à certeza científica de que ‘a tuberculose tem cura’ e de que urge terminar de vez com este flagelo no mundo, divulgando a mensagem da Organização Mundial da Saúde (OMS) para todos”, destaca o presidente da ANTDR.

Por sua vez, o diretor de filatelia dos CTT, Dr. Raul Moreira, sublinha que, “muito antes da COVID-19, as doenças graves que causam infeções respiratórias já existiam, sendo paradigmática e preponderante no mundo a tuberculose. Por outro lado, um estudo divulgado pelo programa Stop TB – Partnership (da OMS) indica que a pandemia COVID-19 terá consequências drásticas para os serviços de controlo da tuberculose. Mesmo na situação de emergência atual, ressalta assim a importância da manutenção dos programas de controlo desta doença, por forma a evitar outras calamidades. Este foi o principal objetivo do lançamento desta coleção de etiquetas para MAVS (Máquinas Automáticas de Venda de Selos), alertar todos para a verdade: a tuberculose não desapareceu e, pelo contrário, pode ser potenciada pela atual pandemia”, conclui.

Pode aceder à pagela aqui, ou às imagens das etiquetas aqui.


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019