Gilead e MSD anunciam acordo para desenvolver combinações terapêuticas com lenacapavir e islatravir para o tratamento do VIH
17/03/2021 11:17:05
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Gilead e MSD anunciam acordo para desenvolver combinações terapêuticas com lenacapavir e islatravir para o tratamento do VIH

A Gilead Sciences e a Merck Sharp & Dohme (MSD) anunciam a celebração do acordo para co-desenvolver e co-comercializar tratamentos de longa duração para o VIH que combinam o inibidor da cápside em desenvolvimento pela Gilead, lenacapavir, e o inibidor nucleósido da translocação da transcriptase reversa em desenvolvimento pela MSD, islatravir, num regime de combinação com potencial para fornecer novas e significativas opções de tratamento para pessoas que vivem com o VIH.

O islatravir e o lenacapavir são potenciais medicamentos first-in-class em ensaios clínicos de fase avançada, com resultados clínicos significativos obtidos até à data. Ambos os medicamentos têm tempos de semi-vida longos e demonstraram atividade em doses baixas em estudos clínicos, o que suporta o seu desenvolvimento como regime de combinação em formulações de longa duração, tanto formulações orais como formas injetáveis.

Os primeiros estudos clínicos da formulação oral combinada têm início previsto na segunda metade de 2021. Nos termos do acordo, a Gilead e a MSD irão trabalhar em parceria, partilhando responsabilidades operacionais, bem como custos de desenvolvimento, comercialização e marketing, como ainda quaisquer receitas futuras.

A MSD e a Gilead procuram fortalecer os seus legados de transformação dos cuidados no tratamento do VIH, concentrando-se no desenvolvimento de opções terapêuticas de longa duração, que podem representar uma inovação significativa no desenvolvimento de medicamentos para o tratamento do VIH. Embora estejam já disponíveis regimes de comprimido único de toma diária para pessoas que vivem com o VIH, as opções que permitam viabilizar uma toma oral menos frequente ou injeções pouco frequentes, em vez de uma toma diária, têm o potencial para ir de encontro às expetativas em termos de preferência, privacidade e adesão.

À medida que o tratamento do VIH evolui, as terapêuticas de longa duração podem fornecer opções adicionais para as pessoas que vivem com o VIH e para os sistemas de saúde, que ajudarão a continuar a colocar as necessidades dos indivíduos no centro dos seus cuidados.

"Na MSD estamos empenhados no nosso compromisso de desenvolver o tratamento das pessoas que vivem com VIH como parte da nossa missão de salvar e melhorar vidas”, sublinha o Dr. Kenneth C. Frazier, chairman e CEO da MSD. “Esta colaboração com a Gilead une duas companhias dedicadas à luta contra a infeção por VIH no desenvolvimento de potenciais opções de tratamento de longa duração, e constitui um importante passo na nossa estratégia de explorar o potencial máximo de islatravir no tratamento da infeção por VIH".

"Através deste acordo com a MSD, a Gilead está a reforçar o seu papel de longo prazo na transformação dos cuidados na área do VIH", refere o Dr. Daniel O'Day, presidente e diretor executivo da Gilead Sciences. "O nosso trabalho no VIH ao longo das últimas décadas tem sido moldado pela atenção dada às pessoas que vivem com o VIH e aos médicos que as tratam. Agora estamos a adotar a mesma abordagem com terapêuticas de ação prolongada, combinando a ciência mais avançada de ambas as empresas para acelerar o progresso no tratamento".

Lenacapavir e Islatravir são ainda medicamentos experimentais e não estão aprovados em nenhum lugar do mundo. A sua segurança e eficácia ainda não foram estabelecidas.


Pesquisa

Publicações

Prev Next

Médico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Farmacêutico News, 37, janeiro/fevereiro 2019

Hematologia e Oncologia, 24, dezembro 2018

15.º Congresso Português de Diabetes, n.3

  SIDA, 37, janeiro/fevereiro 2019