Na 3.ª edição deste Manual, que é uma referência na área, optou-se por mudar o paradigma. Passaram a ser os dois coordenadores da obra, que, em conjunto com outros colegas médicos e enfermeiros – todos eles atores experimentados na abordagem do doente urgente e emergente –, explicam aos leitores o que deve ser feito do ponto de vista diagnóstico e terapêutico e com que critérios se decide o internamento ou se referencia ao especialista para continuação de cuidados.

Publicado em Notícias

Pesquisa