"Transversalidade de temas" no Congresso Nacional da Distribuição Farmacêutica promove partilha de conhecimento entre diferentes especialidades
29/03/2019 12:05:57
Dr. Diogo Gouveia, presidente ADIFA
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
"Transversalidade de temas" no Congresso Nacional da Distribuição Farmacêutica promove partilha de conhecimento entre diferentes especialidades

O Centro Cultural de Belém, em Lisboa, vai ser o palco do Congresso Nacional da Distribuição Farmacêutica já no próximo dia 4 de abril, num evento que marca os dois anos desde a criação da Associação de Distribuidores Farmacêuticos (ADIFA). Em entrevista à News Farma, o presidente da ADIFA, Dr. Diogo Gouveia, salienta a "transversalidade de temas" previstos no programa científico do encontro, apelando, por isso, "à participação de todos os interessados das mais variadas áreas, para enriquecer o debate e a partilha de experiências".

 

News Farma (NF) | O Congresso Nacional da Distribuição Farmacêutica decorre em abril, na cidade de Lisboa. De que necessidade surgiu a criação deste encontro?

Dr. Diogo Gouveia (DG) | Dois anos após a criação da Associação de Distribuidores Farmacêuticos (ADIFA), entendemos como prioritário a criação de um fórum de discussão exclusivamente dedicado aos temas relacionados com o setor da distribuição farmacêutica em Portugal, designadamente da distribuição farmacêutica de serviço completo, e, naturalmente, da sua relação com os diversos stakeholders.

Este momento, agendado para o dia 4 de abril de 2019, no Centro Cultural de Belém, representa um marco importante no desenvolvimento do setor, uma vez que permite colocar os diversos parceiros da saúde e do circuito do medicamento, decisores políticos e a sociedade civil, a debater o estado atual, as novas perspetivas e as tendências futuras da cadeia de abastecimento dos medicamentos e outros produtos de saúde (das tecnologias de saúde no geral).

Por outro lado, a realização do Congresso visa, ainda, promover a apresentação pública de um estudo que irá caracterizar o setor nacional da distribuição farmacêutica de serviço completo (full-line) e demonstrar a sua relevância para a população portuguesa. Queremos trazer para o debate informação concreta sobre o setor que sirva de suporte às discussões.Por outro lado, a realização do Congresso visa, ainda, promover a apresentação pública de um estudo que irá caracterizar o setor nacional da distribuição farmacêutica de serviço completo (full-line) e demonstrar a sua relevância para a população portuguesa. Queremos trazer para o debate informação concreta sobre o setor que sirva de suporte às discussões.

 

NF | A reunião decorre sob o mote “O Elo Vital no Circuito Farmacêutico”. Por que razão foi escolhida esta temática como foco?

DG | Não temos dúvidas de que a distribuição farmacêutica, sinergicamente com os restantes stakeholders do circuito farmacêutico, desempenha uma atividade essencial para o direito constitucional à saúde, promovendo a Saúde Pública através da disponibilização do medicamento certo, no local certo, no momento certo para o cidadão certo. A organização do Congresso com o mote “O Elo Vital no Circuito Farmacêutico” pretende ilustrar essa realidade.

Os distribuidores farmacêuticos de serviço completo asseguram um papel crucial para o correto funcionamento do circuito farmacêutico, distinguindo-se pela capacidade de proporcionar um serviço altamente eficiente. Contudo, esta característica é, por vezes, assumida como garantida. Enquanto “elo vital” pretendemos reforçar a importância destes agentes e reafirmar que, considerando a sua importância vital, será fundamental que as políticas setoriais contribuam para a sustentabilidade da distribuição farmacêutica de serviço completo.

Por distribuidores farmacêuticos de serviço completo (full-line) entendem-se as empresas que exercem a atividade de abastecimento, posse, armazenamento, preparação de encomendas e fornecimento de todo o tipo de produtos farmacêuticos em território nacional, designadamente medicamentos de uso humano, medicamentos de uso veterinário, medicamentos contendo substâncias estupefacientes e psicotrópicas, dispositivos médicos, produtos cosméticos e substâncias ativas, em quantidade e variedade suficientes para garantir uma contínua cobertura nacional. Estes distribuidores percorrem diariamente o país para realizar duas a três entregas diárias às farmácias, efetuando mais de duzentos mil quilómetros por dia para realizar cerca de 11 mil entregas diárias de medicamentos e produtos de saúde, cumprindo e promovendo o desenvolvimento das boas práticas de distribuição instituídas pelas Autoridades. Por sua vez, os distribuidores farmacêuticos de serviço completo assumem a sua responsabilidade enquanto participantes e promotores de programas de saúde pública, como é o caso do Programa Troca de Seringas, o mecanismo Via Verde do Medicamento, o Projeto-Piloto TARV, entre outros.

A realização do Congresso Nacional da Distribuição Farmacêutica, constitui, assim, uma oportunidade única para dar a conhecer a atividade deste setor que dota o circuito farmacêutico em Portugal dos mais altos padrões de eficiência, qualidade e segurança.

 

NF | Que mensagem gostaria de deixar aos interessados em participar?

DG | Os participantes do Congresso Nacional da Distribuição Farmacêutica irão encontrar um fórum que se distingue pelo carácter inovador nas suas temáticas e dados apresentados em Portugal.

Para suportar o nosso exigente programa, contaremos com a participação dos mais prestigiados intervenientes nacionais e internacionais, em diversas sessões de reflexão e debate, que colocarão em perspetiva a evolução das cadeias de abastecimento de medicamentos e de outros produtos de saúde, em Portugal e na Europa, bem como as novas oportunidades inerentes à disrupção digital no circuito logístico.

A abrangência deste evento traduz-se pela transversalidade dos temas discutidos, aplicáveis, quer a montante quer a jusante, no circuito farmacêutico. É, por isso, que apelamos à participação de todos os interessados das mais variadas áreas, para enriquecer o debate e a partilha de experiências.

 

NF | Quais as expectativas em relação a este encontro?

DG | Acreditamos que este Congresso será uma oportunidade única de trazer à agenda temas que são, regra geral, pouco debatidos de forma isolada, mas que apresentam uma relevância indubitável para a população, carecendo, portanto, de momentos próprios de reflexão.

Conforme salientado, neste encontro será apresentado o primeiro estudo que caracteriza o setor em Portugal, algo que será um marco para o desenvolvimento da nossa atividade. O referido estudo proporcionará uma análise detalhada e específica, aplicada ao contexto nacional, sobre a atividade das empresas que conjuntamente assumem a responsabilidade de entregar tecnologias de saúde às farmácias, prestando um serviço basilar à população, no nosso país.

Consideramos que sem a distribuição farmacêutica full-line não seria possível encontrar o nível de serviço que hoje é prestado pelas farmácias à população, nem seria possível à indústria farmacêutica disponibilizar de forma tão eficiente as tecnologias de saúde que produz.

Pretendemos, e estamos confiantes de que o conseguiremos, que este Congresso seja uma plataforma para demonstrar o nosso papel, os principais desafios e as oportunidades setoriais.

 

NF | Há mais algum assunto que queira destacar?

DG | Certamente que sim! Neste seguimento, aproveito a oportunidade para partilhar que, por iniciativa da ADIFA, em 2021, Portugal será anfitrião do 62nd GIRP Annual Meeting & Conference. Este evento internacional da European Healthcare Distribution Association coincidirá com a presidência portuguesa do Conselho Europeu e é o maior encontro de Distribuidores Farmacêuticos da Europa. A sua realização em Portugal permitirá continuar a fortalecer o setor a nível nacional e europeu, bem como a reforçar a participação e afirmação nacional na definição e desenvolvimento das políticas setoriais europeias.

 

Consulte aqui o programa.

 


Pesquisa