Artigos

Tromboembolismo pulmonar crónico, a causa frequente e potencialmente curável de hipertensão pulmonar

A hipertensão pulmonar (HTP) consiste no aumento da pressão nas artérias pulmonares, que levam o sangue do ventrículo direito para os pulmões, para ser oxigenado. Em rigor, não se trata de uma doença, mas sim de uma característica comum a um grande número de doenças muito diferentes entre si que têm em comum uma elevação da resistência das artérias pulmonares e evolução para a insuficiência cardíaca do coração direito. 

Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Conferência INOFARMA reúne especialistas para “criar pontes, trazer novas ideias e dinamizar a saúde”

Promover o debate construtivo sobre a área da saúde e aprofundar conhecimento acerca do uso das tecnologias em Portugal: é este o principal intuito da conferência INOFARMA, uma iniciatva que se realiza no próximo dia 14 de novembro, no Knowledge Center da NOVA School of Business and Economics. A News Farma falou com o Dr. Daniel Guedelha, membro da organização INOFARMA, sobre a realização deste evento. Leia a entrevista.

Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Quão frequente é a carência de vitamina D na população portuguesa?

Tem havido alguma polémica sobre a real prevalência da carência de Vitamina D no nosso país, incluindo sugestões subreptícias de que os resultados mais alarmantes estarão enviesados por interesses comerciais. A verdade, contudo, é que trabalhos conduzidos por grupos independente e em circunstâncias muito díspares têm conduzido a resultados notavelmente consistentes. Leia o artigo da Dr.ª Cátia Duarte e do Prof. Doutor José António Pereira da Silva.

Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
A transformação digital na prestação de cuidados de Saúde

O conceito de customer centric é cada vez mais utilizado em inúmeros sectores. Na saúde, esta experiência passa por colocar o “utente” no centro; abandonar a perceção de “paciente” e passar a compreendê-lo como um “cliente”. Numa época em que a medicina é cada vez mais preventiva e ou paliativa, isso implica conhecer o indivíduo no seu todo.

Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter

4D Visions19

Pesquisa