Novas perspetivas da Imunoterapia em tumores hematológicos
19/11/2016 15:10:35
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Novas perspetivas da Imunoterapia em tumores hematológicos

Uma das Lições realizadas na Reunião Anual SPH 2016 foi proferida pelo Prof. Doutor Bruno Silva Santos e incidiu sobre as “Novas perspetivas na Imunoterapia de neoplasias hematológicas”. Nesta sessão moderada pelo Prof. Doutor António Almeida e Dr. Joaquim Andrade, o investigador do Instituto de Medicina Molecular (iMM), em Lisboa, explorou as novas estratégias de tratamento, baseadas em Imunoterapia e aplicadas à Hematologia, que estão, neste momento, em investigação. Assista à entrevista em vídeo.

Conforme explicou o Prof. Doutor Bruno Silva Santos, no contexto dos tumores hematológicos, estão a ser avaliadas duas estratégias de Imunoterapia. Já está a ser testada a eficácia de anticorpos imunomoduladores, que permitem o reconhecimento, por parte do sistema imunitário, de células malignas. “Para o linfoma de Hodking registaram-se avanços significativos com anticorpos anti-PD1”, reiterou o preletor.

Para outros tumores hematológicos, nomeadamente, as leucemias, “a expressão PD-L1 não é suficientemente robusta para induzir uma resposta eficaz”. Neste âmbito, esclareceu o palestrante, estão a ser desenvolvidas duas novas abordagens de tratamento baseadas em linfócitos T.

Por um lado, a estratégia assenta na possibilidade de “gerar células T mais eficazes e em maior número” (algo que o investigador está a desenvolver no iMM, com células do tipo gama-delta).

Por outro lado, o Prof. Doutor Bruno Silva Santos lembrou que há possibilidade de modificar as células geneticamente, sendo este o racional da estratégia com CAR (Chimeric antigen receptor) T-cells. Os dados revelam que, com esta abordagem com CAR-T cells, é possível obter “respostas completas superiores a 90% no caso das leucemias linfocíticas agudas da linhagem B”.

Vídeo

Pesquisa

Reunião Anual da SPH