Portugal pode não atingir eliminação da hepatite C até 2030
13/03/2019 15:24:24
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Portugal pode não atingir eliminação da hepatite C até 2030

A sessão "Políticas e Ferramentas de Apoio à Decisão Política em Saúde" decorreu ontem, dia 12 de março, no Auditório António de Almeida Santos, na Assembleia da República. A sessão, em conjunto com os parâmetros da Organização Mundial da Saúde (OMS) e as 24 políticas de intervenção pública, concluiu que Portugal não vai alcançar a eliminação da patologia até 2030.

Este cálculo matemático é possível através da consulta da ferramenta inovadora Let’s End HepC (LEHC), desenvolvida pela Universidade Católica Portuguesa (UCP), e que avalia o impacto das políticas de saúde pública na eliminação da hepatite C (VHC).

A duas semanas do governo ter mudado o modelo de financiamento e cortado a verba do orçamento para as hepatites virais, o Dr. Ricardo Baptista Leite, médico e coordenador científico de saúde pública da UCP, refere que “o governo tem neste momento todas as ferramentas ao seu dispor para tornar possível a eliminação antes de 2030, basta que a vontade política acompanhe a evidência científica. Enquanto Academia, estamos inteiramente à disposição das entidades públicas para trabalharmos juntos de forma a que a eliminação da hepatite C seja uma realidade”.

A ferramenta, que contou com o apoio financeiro da Gilead Sciences, revela qual a probabilidade da eliminação da doença recorrendo a um algoritmo matemático que permite o processamento de dados epidemiológicos da doença a nível local conjugando-os com a análise atual de 24 políticas.

Estima-se que existem em Portugal 89.200 de doentes com hepatite C.