Prémio Saúde Sustentável galardoa cinco projetos nacionais
04/10/2018 15:42:06
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Prémio Saúde Sustentável galardoa cinco projetos nacionais

Já são conhecidos os vencedores da edição de 2018 do Prémio Saúde Sustentável. O anúncio foi feito ontem, 3 de outubro, na cerimónia de entrega de prémios que teve lugar em Lisboa.

Na categoria “Cuidados Primários” o projeto “Gestão do Percurso do Utente com Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC)”, do Agrupamento de Centros de Saúde do Cávado III – Barcelos Esposende foi o grande vencedor. O objetivo da iniciativa é a reorganização do papel das equipas e dos profissionais da instituição na resposta assistencial à pessoa com DPOC, melhorando o acesso aos meios complementares de diagnóstico e o acesso do utente aos cuidados de saúde.

O projeto Stroke Center foi o distinguido na categoria “Cuidados Hospitalares”, numa iniciativa conjunta do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/ Espinho - Unidade Neurorradiologia de Intervenção/ Unidade de AVC. A instituição adotou a organização de Stroke Center, definida pela European Stroke Organization, que requer a existência de equipas multidisciplinares no mesmo centro hospitalar e a criação de uma rede de relações com várias unidades de AVC de outras instituições vizinhas. Além disso, esta instituição iniciou e liderou a disponibilização de cuidados da terapêutica endovascular.

Nos “Cuidados Continuados”, a distinção foi para o projeto “Cuidar em Humanitude”, da Santa Casa da Misericórdia de Pedrógão Grande. A iniciativa permite aos cuidadores profissionalizar os quatro pilares fundamentais da prestação de cuidados: olhar, palavra, toque e verticalidade, cumprindo as regras de arte de uma sequência estruturada de procedimentos cuidativos humanitude (SEPCH). Esta iniciativa teve um reflexo bastante positivo nos cuidadores, melhorando a sua satisfação pessoal e profissional, e nas pessoas cuidadas.

No âmbito da “Prevenção e Promoção da Saúde”, o vencedor foi o Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/ Espinho, com o projeto “Domiciliação”. A iniciativa passa pela criação da consulta de Enfermagem ao cuidador, direcionada aos cuidadores de pessoas com demência. Assim, o foco deixa de ser exclusivamente a pessoa cuidada e passa também a incluir o cuidador, enquanto recurso terapêutico primordial, resultando numa mudança na prestação de cuidados de saúde.

O Programa de Gestão de Caso para Doentes Crónicos com Multimorbilidade, da Unidade Local de saúde do Litoral Alentejano, foi o trabalho distinguido na categoria “Projetos Especiais Integrados”. Trata-se de um processo colaborativo de trabalho, focado nas necessidades do indivíduo e dos seus cuidadores, permitindo a integração da prestação de cuidados em torno dos doentes crónicos. Uma das grandes mais-valias desta iniciativa é a redução significativa do número de admissões nos serviços de urgências das unidades de saúde onde foi implementado.

Mais informações disponíveis aqui.