Mais de 58 mil casos de cancro em Portugal até ao final do ano, prevê Agência Internacional para a Investigação do Cancro
13/09/2018 12:52:56
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Mais de 58 mil casos de cancro em Portugal até ao final do ano, prevê Agência Internacional para a Investigação do Cancro

Um quarto da população portuguesa está em risco de desenvolver cancro até aos 75 anos e 10% corre risco de morrer de doença oncológica. O alerta vem da Agência Internacional para a Investigação do Cancro (IARC), no âmbito dos dados divulgados ontem, 12 de setembro.

 

O número de novos casos de cancro em Portugal ultrapassará este ano os 58 mil, com as mortes por doença oncológica a ascenderem a quase 29 mil, segundo estimativas da Agência. O cancro do pulmão, que é o que mais doentes afeta em termos mundiais, surge em Portugal em quarto lugar de incidência, com a estimativa de mais de 5200 casos este ano.

Numa análise por sexos, o cancro com maior incidência nos homens é o da próstata, seguido pelo colorrectal. Nas mulheres, o cancro da mama aparece em primeiro lugar, sendo também o colorrectal o que tem a segunda maior incidência.

 

Cancro do pulmão é o mais mortal

Em termos de mortalidade, o cancro do pulmão é o mais mortal em Portugal, tal como acontece a nível mundial, seguido do cancro do cólon, do estômago e da próstata. O cancro da mama surge em quinto lugar, numa análise a 36 tipos de doença oncológica.

De acordo com a IARC são mais de 155 mil as pessoas em Portugal que vivem com cancro diagnosticado há mais de cinco anos. Em todo o mundo, mais de 18 milhões de novos casos de cancro e 9,6 milhões de mortes são estimados este ano.

Um em cada cinco homens e uma em cada seis mulheres em todo o mundo desenvolve cancro nalguma fase da sua vida. Os números estimam ainda que um em cada oito homens e uma em cada 11 mulheres acabem por morrer devido a doença oncológica.

 

Fonte: Público