FDA aprova venetoclax em combinação com rituximab para tratamento da leucemia linfocítica crónica
10/07/2018 17:53:54
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
FDA aprova venetoclax em combinação com rituximab para tratamento da leucemia linfocítica crónica

A AbbVie anunciou que a Food and Drug Administration (FDA) aprovou nos Estados Unidos da América (EUA), em revisão prioritária, venetoclax em combinação com rituximab para o tratamento de doentes com leucemia linfocítica crónica (LLC) ou linfoma linfocítico pequenas células (LLPC), com ou sem deleção 17p, submetidos a pelo menos uma linha terapêutica prévia.

A aprovação é suportada pelo ensaio clínico de fase 3 MURANO, que demonstrou uma melhoria na sobrevivência livre de progressão (PFS) em doentes com LLC em recaída/refratária (R/R), reduzindo em 81% o risco de progressão da doença ou morte, em comparação ao esquema convencional de quimioimunoterapia de bendamustina com rituximab.

Os doentes que receberam venetoclax em combinação com rituximab alcançaram igualmente uma taxa de resposta global (ORR) de 92%, comparativamente à taxa de 72% nos doentes tratados com o esquema de quimioimunoterapia.

O perfil de segurança da terapêutica de combinação é consistente com o perfil de segurança conhecido de venetoclax. Os efeitos adversos mais frequentes, superiores ou iguais a 20%, reportados para venetoclax em combinação com rituximab foram neutropenia, diarreia, infeção do trato respiratório superior, fadiga, tosse e náuseas.

Venetoclax em combinação com rituximab é o primeiro esquema terapêutico de administração oral, que possibilita aos doentes com LLC uma opção de tratamento livre de quimioterapia e com duração fixa, nos EUA.
"Venetoclax proporciona agora aos doentes elegíveis uma nova oportunidade para reduzir o risco de progressão da doença, comparativamente com as terapêuticas convencionais atuais”, explica o Dr. Michael Severino, vice-presidente executivo do departamento de investigação e desenvolvimento e diretor científico da AbbVie. “Esta combinação terapêutica disponibiliza aos doentes com LLC ou LLPC, previamente tratados, um tratamento livre de quimioterapia, com duração fixa, que lhes permite interromper o tratamento ao fim de cerca de dois anos", acrescenta, referindo que "este é um passo importante para os doentes, e estamos ansiosos por continuar a disponibilizar novas opções terapêuticas aos doentes com cancros hematológicos difíceis de tratar."

Venetoclax recebeu da FDA quatro designações de medicamento inovador (BTD - Breakthrough Therapy Designations), incluindo para o esquema terapêutico de venetoclax em combinação com rituximab em doentes com LLC em R/R. A aprovação de venetoclax em combinação com rituximab assinala a segunda aprovação concedida sob revisão prioritária pela FDA para venetoclax. Fora dos EUA, estão em curso pedidos de aprovação às autoridades regulamentares.

"A aprovação de venetoclax em combinação com rituximab para doentes com LLC ou LLPC em recaída/refratária valida os resultados observados no ensaio de fase 3, incluindo a melhoria na sobrevivência livre de progressão comparativamente a um grupo tratado com uma opção terapêutica habitualmente utilizada", afirmou o Dr. John Seymour, diretor do departamento de Medicina Oncológica do Peter MacCallum Cancer Centre and Royal Melbourne Hospital, Austrália, e investigador principal do estudo MURANO. "A sobrevivência livre de progressão é considerada um marcador excelente para demonstrar os benefícios clínicos em Oncologia", acrescenta.

A LLC é um cancro da medula óssea e do sangue, normalmente de progressão lenta, no qual alguns tipos de glóbulos brancos, denominados linfócitos, se tornam malignos e se multiplicam de forma anormal. Nos EUA, a LLC representa mais de 20 mil novos casos diagnosticados de leucemia por ano. O LLPC está intimamente relacionado com a LLC. Porém, ao contrário da LLC, as células do LLPC encontram-se por norma nos gânglios linfáticos e no baço, não na medula óssea e no sangue. Nos EUA, são diagnosticados todos os anos cerca de 5 mil casos de LLPC.

A FDA aprovou ainda a expansão da indicação de venetoclax em monoterapia para o tratamento de doentes com LLC ou LLPC, com ou sem deleção 17p, previamente submetidos a uma outra terapêutica. Anteriormente, venetoclax, o primeiro inibidor oral da BCL-2, foi aprovado nos EUA em abril de 2016, sob aprovação acelerada, em monoterapia para o tratamento de doentes com LLC com deleção 17p com pelo menos uma linha terapêutica prévia. Venetoclax está a ser desenvolvido pela AbbVie e pela Roche. Nos EUA, é comercializado em conjunto pela AbbVie e pela Genentech, membro do Grupo Roche, sendo comercializado pela AbbVie fora dos EUA.