"Cancro da Próstata - Inovação no Diagnóstico e no Tratamento" serve de mote para conferência no Porto
16/05/2018 16:06:45
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
"Cancro da Próstata - Inovação no Diagnóstico e no Tratamento" serve de mote para conferência no Porto

É já amanhã, 17 de maio, que o Instituto de Terapia Focal da Próstata, no Porto, promove uma palestra dedicada ao tema "Cancro da Próstata - Inovação no Diagnóstico e no Tratamento". O encontro decorre no auditório do Hospital de Santa Maria – Porto, pelas 18h30.

No âmbito desta sessão, o Dr. José Sanches de Magalhães, urologista, aborda as novas técnicas de diagnóstico e de tratamento, que pretendem mudar as estatísticas deste cancro que afeta mais de quatro mil homens anualmente em Portugal.

Neste sentido, o encontro permite compreender qual o método de diagnóstico mais eficaz, se o PSA deve ser realizado e a partir de que idade. Em análise estará também o tipo de tratamento mais adequado e a definição de eletroporação irreversível.

A inscrição, gratuita e com vagas limitadas à lotação da sala, deve ser submetida através do número de telefónico 225 082 000.

Os números do cancro da próstata

Num comunicado divulgado à comunicação social, o médico urologista e fundador do Instituto de Terapia Focal da Próstata, Dr. José Sanches de Magalhães, alerta para o facto do cancro da próstata ser ainda a "quarta causa de morte por cancro no homem em Portugal, atrás do cancro do pulmão, colorectal e gástrico, sendo a patologia oncológica mais frequente nos homens com mais de 50 anos".

“Uma nova abordagem no diagnóstico, com destaque para a realização de exame por ressonância magnética, e a inovadora técnica para o tratamento de lesões em estado inicial são dois fatores importantes com os quais esperamos vir a mudar as estatísticas desta patologia”, reforça o médico.

De acordo com a Associação Europeia de Urologia, o cancro da próstata é um dos cancros mais frequentes, com mais de 417 mil novos casos e 92 mil mortes registadas na Europa, por ano, sendo a terceira causa de morte nos homens na Europa.

Um em cada sete homens, na Europa, desenvolve cancro da próstata e mais de dois milhões de indivíduos do sexo masculino na Europa vivem com esta doença. A incidência desta patologia crónica aumentou significativamente nos últimos 20 anos e a maioria dos casos são diagnosticados aos 69 anos, apesar de não afetar apenas os homens desta idade. Hoje em dia, 10% dos novos diagnósticos nos Estados Unidos da Amérrica ocorrem em homens com menos de 55 anos.