Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano com tempos de espera para consultas "inadmissíveis"
12/04/2018 16:20:29
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano com tempos de espera para consultas "inadmissíveis"

Na Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano existem problemas nos centros e nas extensões de saúde "muitíssimo preocupantes". O alerta é do presidente da Comunidade Intermunicipal do Alentejo Litoral e do Município de Alcácer do Sal (CIMAL), Dr. Vítor Proença, que fala em tempos de espera para as consultas "inadmissíveis".

O gestor na área da comunicação considera que "todos os profissionais, desde o pessoal auxiliar e administrativo aos profissionais de saúde, acusam um desgaste que se deve às condições de trabalho difíceis com que se defrontam no dia a dia". 


Dada esta situação, o presidente do CIMAL, acredita ser de louvar "a resistência e dever de missão em prol de algo tão importante como o bem-estar de todos" destes profissionais, cujo esforço diário e dedicação “mantém o espírito do Serviço Nacional de Saúde”.

As declarações foram feitas no final da reunião da Comunidade Intermunicipal do Alentejo Litoral com a Comissão de Utentes do Litoral Alentejano, que teve lugar em Santiago do Cacém, no âmbito do Roteiro para a Valorização da Saúde. Esta iniciativa foi lançada, em fevereiro, pelos presidentes dos cinco municípios do Alentejo Litoral no contexto da CIMAL, e visa a recolha de contributos e a auscultação de diversos agentes e entidades da sub-região para que o território, e os municípios, em particular, reúnam as melhores condições para a formulação de propostas para a valorização da prestação de cuidados de saúde às populações.

No passado dia 6 de abril, a Comissão de Utentes organizou uma concentração junto do Hospital do Litoral Alentejano, na qual foi aprovada a moção “Pelo direito a cuidados de saúde, seguros e condignos na Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano".