SPC junta-se ao movimento Go Red for Women e dá a conhecer os números do coração
08/03/2018 17:00:49
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
SPC junta-se ao movimento Go Red for Women e dá a conhecer os números do coração

Hoje, Dia Internacional da Mulher, a Sociedade Portuguesa de Cardiologia (SPC) junta-se ao movimento Go Red for Women, promovido pela American Heart Association e lança a campanha: Sabe os seus números? A SPC encoraja todas as mulheres a aprender mais sobre os números do coração, tendo em conta que, por ano, morrem mais quatro mil mulheres que homens devido a doenças cardiovasculares em Portugal.

Para o presidente da SPC, o Prof. Doutor João Morais, “é importante que, neste dia, as mulheres conheçam os seus números e que entendam que as doenças cardiovasculares ainda são a principal causa de morte em Portugal”. Neste sentido, a SPC dá a conhecer os números que estão relacionados com maior ou menor risco para sofrer uma doença cardiovascular, como aqueles referentes à pressão arterial, ao colesterol, à glicemia e ao índice de massa corporal (IMC).

A SPC alerta ainda para os fatores de risco que poderão ser alterados ou controlados mediante uma mudança no estilo de vida como o sedentarismo, o tabagismo, a diabetes, a obesidade e também os valores de pressão arterial e do colesterol. No entanto, realça que existem igualmente outros fatores associados à genética que não são passíveis de ser alterados, como a idade, o género e o histórico familiar de doença cardiovascular.

A prevenção é outra vertente da campanha, pelo que a SPC aconselha todas as mulheres a controlar os seus números, os fatores de risco. A Sociedade explica que é muito importante a realização de análises regularmente e que se tente normalizar os parâmetros que se encontram alterados e que representam um sinal de alarme para o desenvolvimento destas doenças, como os valores do colesterol, pressão arterial e glicemia.

Outra sugestão da SPC passa por comer de forma equilibrada e praticar exercício físico para manter o IMC dentro dos valores de referência.

Assista ao vídeo da iniciativa.