Diálise peritoneal domiciliária permite uma melhor qualidade de vida dos doentes
Diálise peritoneal domiciliária permite uma melhor qualidade de vida dos doentes

Em Portugal, existem mais de cinco mil mulheres em diálise, de acordo com dados do gabinete de registo da Sociedade Portuguesa de Nefrologia (SPN), divulgados no âmbito do Dia Mundial do Rim, que se assinala a 8 de março. A diálise peritoneal domiciliária vem permitir que este tratamento se realize em casa, constituindo uma forma de terapia cómoda, segura e eficaz.

Para as mulheres, as questões estéticas e o tempo do tratamento são, muitas vezes, motivo de constrangimento e levam a alguma resistência à terapia. No entanto, a Dr.ª Ana Carina Ferreira, médica nefrologista no Hospital Curry Cabral e responsável pelo programa de diálise peritoneal no hospital, lembra “que a diálise peritoneal é uma alternativa eficaz que apresenta muitas vantagens intrínsecas e que deve ser tida em conta como primeira opção de tratamento”.

Para a médica nefrologista, a principal vantagem do tratamento “é a possibilidade de poder realizar-se em casa, com reduzidas deslocações ao hospital", pelo que "as doentes podem gerir quando se conectam, permitindo dar continuidade à sua atividade profissional, à vida familiar e às suas tarefas rotineiras”.

A especialista refere ainda outras vantagens da diálise peritoneal, "uma técnica bastante flexível e que permite à mulher uma gestão eficaz do seu tempo, já que não requer horários fixos, o que se traduz numa enorme vantagem em termos de qualidade de vida".

A Baxter associou-se, mais uma vez, ao Dia Mundial do Rim, "para reforçar o seu compromisso com os doentes renais, destacando a importância da diálise peritoneal como forma de tratamento cómoda, segura e eficaz”, como explica em comunicado o Prof. Doutor Filipe Granjo Paias, diretor-geral da Baxter Portugal.