Artrite reumatoide: upadacitinib alcança resultados positivos em regime de monoterapia em estudo de fase 3
11/01/2018 15:35:39
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Artrite reumatoide: upadacitinib alcança resultados positivos em regime de monoterapia em estudo de fase 3

A AbbVie anunciou recentemente terem sido alcançados resultados positivos de primeira linha no ensaio clínico de fase 3 SELECT-MONOTHERAPY. Este estudo, ainda em curso, avaliou upadacitinib (ABT-494), um inibidor seletivo de JAK1 oral, em desenvolvimento, como um tratamento em monoterapia em doentes com artrite reumatoide (AR) moderada a grave que não apresentaram uma resposta adequada ao tratamento com metotrexato.

Os resultados mostraram que, após 14 semanas de tratamento, ambas as doses de administração diária única de upadacitinib (15 mg e 30 mg) atingiram os objetivos primários do estudo, com a resposta ACR20 e baixa atividade da doença (LDA) comparativamente com a continuação da terapêutica estável anterior com metotrexato. Ambas as doses também alcançaram todos os principais objetivos secundários. Upadacitinib não está aprovado pelas autoridades reguladoras e a sua segurança e eficácia ainda não foi estabelecida.

“Os resultados positivos do estudo SELECT-MONOTHERAPY são encorajadores, pois constituem a primeira evidência que sustenta o potencial de upadacitinib como terapêutica que não requer combinação com metotrexato”, afirma o Dr. Michael Severino, vice-presidente executivo do departamento de investigação e desenvolvimento e diretor científico da AbbVie. “Estas conclusões vêm juntar-se a um conjunto crescente de dados que mostram o potencial de upadacitinib como opção terapêutica significativa para os doentes com artrite reumatoide. Mal podemos esperar para partilhar dados adicionais do programa de fase 3 de upadacitinib na artrite reumatoide com a comunidade científica, em 2018”.

A artrite reumatoide é uma doença crónica e debilitante que afeta um número estimado de 23,7 milhões de pessoas em todo o mundo. O metotrexato é frequentemente usado como terapêutica de primeira linha na artrite reumatoide, mas muitos doentes não respondem à terapêutica ou são intolerantes a metotrexato, o que os coloca em risco de progressão da doença.

“Este ensaio incide no impacto clínico de switch de metotrexato para upadacitinib em monoterapia em doentes com uma resposta inadequada a metotrexato. Os resultados sugeriram que ambas as doses de upadacitinib podem levar a respostas clinicamente significativas”, refere o Dr. Josef S. Smolen, do Departamento de Medicina, Divisão de Reumatologia, da Faculdade de Medicina de Viena, Áustria, e um dos investigadores do estudo. “Estes resultados sustentam o potencial de upadacitinib em monoterapia, como opção de tratamento para doentes com artrite reumatoide.”

O estudo mostrou que, à semana 14, 68/42/23% dos doentes que iniciaram upadacitinib 15 mg em toma diária única, e 71/52/33% dos doentes que iniciaram upadacitinib 30 mg em toma diária única alcançaram resposta ACR20/50/70, comparado com 41/15/3% dos doentes que continuaram com metotrexato. Estes resultados foram estatisticamente significativos (p<0,001 para todas as comparações), em comparação com os doentes que mantiveram a dose inicial de metotrexato.

Adicionalmente, uma percentagem significativamente superior de doentes tratados com upadacitinib em ambos os grupos de dose alcançou os objetivos de LDA e remissão clínica à semana 14, em comparação com doentes que continuaram metotrexato (p<0,001). 45% e 53% dos doentes dos grupos de 15 mg e 30 mg, respetivamente, alcançaram baixa atividade da doença, em comparação com 19% dos doentes que continuaram metotrexato. 28% e 41% dos doentes dos grupos de 15 mg e 30 mg, respetivamente, alcançaram remissão clínica, em comparação com 8% dos doentes que continuaram metotrexato.