Governo cria Comissão para acompanhar população afetada pelos incêndios
11/08/2017 12:05:12
Partilhar por emailShare on Google+Partilhar no facebookPartilhar no linkedinPartilhar no twitter
Governo cria Comissão para acompanhar população afetada pelos incêndios

O ministério da Saúde criou, esta semana, a Comissão de Acompanhamento da população afetada pelos incêndios que atingiram os concelhos de Castanheira de Pêra, Figueiró dos Vinhos, Góis, Pampilhosa da Serra, Pedrógão Grande, Penela e Sertã. O principal objetivo é dar resposta na área da saúde mental.

A decisão foi tomada durante uma reunião que aconteceu na passada segunda-feira, dia 7 de agosto, em que estiveram presentes o secretário de estado da Saúde, Dr. Fernando Araújo, autarcas dos concelhos afetados, familiares de vítimas e várias entidades de saúde locais.

Na ocasião, o Dr. Fernando Araújo sublinhou que está a ser feito um reforço para responder às necessidades da população nestes locais, sendo que alguns dos profissionais de saúde já chegaram e a contratação de outros já foi aprovada. De acordo com o governante, há reforço de médicos de família, enfermeiros, bem como fisioterapeutas, nutricionistas, psicólogos e técnicos de serviços sociais.

De entre as necessidades, o secretário Fernando Araújo destaca a saúde mental como “o principal desafio” e garante que as equipas vão manter-se no local “durante o tempo necessário”.

Liderada pelo presidente do Conselho Nacional de Saúde Mental, Dr. António Leuschner, a comissão agora criada pretende “caracterizar a população em risco, tendo em conta as perdas sofridas, a sintomatologia evidenciada, os recursos individuais e do sistema familiar em causa e os antecedentes psicopatológicos revelados, com especial atenção às situações de risco de suicídio”; “articular as ações, designadamente com as entidades locais, nomeadamente autarquias e instituições sociais e solidárias, de modo a garantir sinergias nas intervenções”; entre outros objetivos.

Recorde-se que os incêndios nos concelhos de Castanheira de Pêra, Figueiró dos Vinhos, Góis, Pampilhosa da Serra, Pedrógão Grande, Penela e Sertã, aconteceram em junho e vitimaram 64 pessoas.