Um estado liderado por investigadores da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra advertem para a necessidade imperiosa de utilização, pelos profissionais de saúde, de garrotes descartáveis, preferencialmente de uso individualizado, ou da adoção de eficazes medidas de descontaminação destes dispositivos destinados a facilitar a punção venosa, sempre que reutilizados. A investigação contou, ainda, com a colaboração da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra (ESTeSC), do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) e da Associação Portuguesa de Acessos Vasculares (APoAVa)

Publicado em Notícias