A grande maioria dos doentes em tratamento ou seguimento no  Instituto Português de Oncologia de Lisboa (IPO Lisboa) está muito satisfeita com a assistência e com os cuidados que recebe. Os dados estão comprovados no inquérito aplicado pela Gestão de Qualidade e Risco nos serviços de internamento e no ambulatório a 690 doentes, entre 13 de novembro e 12 de dezembro de 2017.

Publicado em Notícias

Pela primeira vez, realizou-se no passado dia 20 de outubro um congresso nacional transdisciplinar de saúde que debateu “A Qualidade de Vida do Doente Oncológico”. Inserido na programação Outubro Rosa e organizado pelo Gabinete de Apoio Oncológico (G.A.O.), o evento teve lugar no Altice Fórum Braga, e teve como objetivo analisar de que forma o utente pode regressar rapidamente e funcional à sua vida diária pessoal, familiar e profissional.

Publicado em Notícias

“Preparar o Futuro, Novas Soluções” é o tema da 9.ª edição do Congresso Nacional de Cuidados Paliativos, realizada em parceria com o 8.º Congresso de Cuidados Paliativos do Instituto Português de Oncologia do Porto. O evento arranca amanhã e termina no dia 27 de outubro, na Fundação Dr. António Cupertino de Miranda, no Porto.

Publicado em Notícias

O Instituto Português de Oncologia de Lisboa (IPO Lisboa) voltou a ser certificado pela European Society of Medical Oncology (ESMO) como Centro Integrado de Oncologia e Cuidados Paliativos para o triénio 2019/2021. O anúncio foi feito este domingo, 21 de outubro, no terceiro dia da ESMO 2018.

Publicado em Notícias
terça, 23 outubro 2018 17:37

Lisboa acolhe 6.ª edição da OncoAcademia

A 6.ª edição da OncoAcademia, terá lugar este ano nos dias 16 e 17 de novembro de 2018, no Hotel Olissippo Oriente, em Lisboa. Sobretudo dirigo aos médicos no último ano do internato da especialidade, o evento conta com o apoio conjunto da AstraZeneca e da Sociedade Portuguesa de Oncologia. Mais informações disponíveis aqui.

Publicado em Tome Nota

Com a missão de levar o mais recente conhecimento em Oncologia além-fronteiras, a News Farma ruma a Munique, na Alemanha, para cobrir um dos maiores eventos científicos mundiais: o Congresso da European Society of Medical Oncology (ESMO 2018). De 19 a 23 de outubro, o Messe Munich será ponto de encontro obrigatório para os profissionais e investigadores da área das doenças oncológicas. Acompanhe o Congresso, passo a passo, com a plataforma digital www.esmo2018.newsfarma.pt dedicada à cobertura exclusiva e especializada da ESMO 2018.

Publicado em Notícias

Está a chegar a 10.ª iMed Conference, que decorre em Lisboa, mais precisamente no Teatro Camões, entre os dias 3 e 7 de outubro. Contrariamente ao que se passou em anos anteriores, em que só se recebiam futuros médicos, para a edição deste ano, a organização alargou as inscrições a todos os estudantes das áreas da Saúde, sendo esperados mais de 500 alunos. Presentes enquanto oradores vão estar diversos especialistas internacionais, ligados a Neurociência, Oncologia e Tecnologia, para abordar assuntos de grande relevância atual.

 

Publicado em Notícias

Um quarto da população portuguesa está em risco de desenvolver cancro até aos 75 anos e 10% corre risco de morrer de doença oncológica. O alerta vem da Agência Internacional para a Investigação do Cancro (IARC), no âmbito dos dados divulgados ontem, 12 de setembro.

 

Publicado em Notícias

Estudo de fase III KEYNOTE-048 que avalia pembrolizumab em monoterapia no tratamento em primeira linha do cancro da cabeça e pescoço recorrente ou metastático (R/M HNSCC) atingiu o endpoint primário de sobrevivência global (OS) em doentes cujos tumores expressaram PD-L1 com uma marcação combinada positiva (CPS) ≥20. O anúncio foi feito pela MSD.

Publicado em Notícias

No âmbito do Dia Mundial do Cancro de Cabeça e Pescoço, a News Farma conversou com o diretor do Serviço de Cirurgia de Cabeça e Pescoço do IPOLFG, Dr. Jorge Rosa Santos, que considera ser “na área do diagnóstico precoce da doença que se devia centrar a luta contra o cancro de cabeça e pescoço”, sublinhando o facto de uma grande percentagem destes doentes ser diagnosticada em estadios muito avançados. Para tal, o especialista avança que seria necessário um maior investimento, sendo que “muito pouco tem sido feito por iniciativa do poder central”.

Publicado em Artigos
Pág. 1 de 10